sábado, 18 de setembro de 2010

“Sou a favor da vida. Da vida do embrião, da lesma, da aranha. Isso não é apenas uma questão religiosa”, diz Marina Silva


A presidenciável Marina Silva (PV) participou nesta quinta-feira (9) de sabatina no jornal “O Globo”, no Rio de Janeiro. A candidata respondeu perguntas de jornalistas e de leitores durante cerca de 1h30. O candidato José Serra (PSDB) será entrevistado na sexta-feira (10). Dilma recusou o convite, segundo o jornal.
Marina apresentou detalhes do seu programa de governo com foco no desenvolvimento sustentável, fez críticas aos adversários com o objetivo de mostrar suas diferenças em relação a Serra e Dilma, além de afirmar que está confiante em sua presença no segundo turno. Sobre o caso da quebra de sigilo fiscal na Receita Federal, ela criticou novamente a atuação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.  “Ele saiu na defesa de quem não teve o sigilo violado”, disse, fazendo referência à participação de Lula no horário eleitoral do PT.
Ela abordou o tema após ser questionada sobre o aparelhamento da máquina federal. Disse que o secretário da Receita mostrou que é “incompetente” e que a resposta do ministro da Fazenda foi insuficiente. Para a candidata, a aguardada declaração de Lula foi lamentável. “Há uma forma equivocada de lidar com a gestão pública”, disse.
Segundo a presidenciável, a investigação não deve ser banalizada e deve servir para corrigir rumos da administração pública. “Deu trabalho para transformar os servidores da Receita em carreira típica de estado para que a gente tenha segurança. E a gente descobre que a funcionária que violou o sigilo de mais de 2 mil pessoas não é nem carreira típica de estado, é do Serpro, (..) geneticamente modificada dentro da Receita Federal para fazer o que fez”, disse.
Alianças
A candidata do PV se disse confiante de que estará no 2º turno e relativizou seu desempenho das pesquisas. Disse que o seu patamar de 10% representa cerca de 13 milhões de eleitores e que eles foram conquistados com um projeto coerente, sem velhas alianças políticas, e criticou os adversários. “Tem muita gente que ganha perdendo”, disse.
Garantiu que em um eventual governo do PV vai governar com os melhores de vários partidos, citando Cristóvam Buarque (PDT) e Eduardo Suplicy (PT) como exemplos de políticos que seriam importantes em suas iniciativas de formar novas alianças para governar.
Ela respondeu novamente questões consideradas polêmicas, sobre aborto, maconha, casamento homossexual. No caso da pesquisa com células tronco, foi enfática ao afirmar que prefere o uso das células adultas. “Sou a favor da vida. Da vida do embrião, da lesma, da aranha. Isso não é apenas uma questão religiosa.”
Na sabatina, a candidata também foi confrontada com uma questão sobre o jogo do bicho. Após ser perguntada a respeito de um candidato do PV que teria opinião favorável à prática, ela se disse contra. “Pessoalmente, não sou favorável”, disse.
Fonte: O Verbo / G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO PELA VISITA.