segunda-feira, 9 de maio de 2011

Gasolina da Petrobras


A leitora Wylle Camargo enviou e-mail pedindo que coluna encontrasse respostas para as seguintes perguntas: qual o valor da gasolina na refinaria? Qual o valor do etanol quando sai das usinas e quando sai da distribuidora? Em que momento o etanol é misturado à gasolina?  apurou-se que desde 2009 a Petrobras entrega a gasolina às distribuidoras pelo mesmo valor, ou seja: R$ 1,05, valor que cobre os custos de produção, refino e logística, carga tributária e margem de lucro.
A Petrobras garante que R$ 1,05 é o preço do litro da gasolina, sem adição de etanol, vendida desde 9 de junho de 2009, data em que houve redução de 4,5% no valor do combustível e que, desde então, não ocorreu mais nenhuma alteração no preço da gasolina vendida às distribuidoras na porta das refinarias. O valor cobrado pela Petrobras é quase um terço do preço que o consumidor final paga na bomba, ou seja, entre a refinaria e o posto de combustível a gasolina sofre um aumento de preço na ordem de 72%.
Gasosa
Como o preço praticado pela Petrobras corresponde a apenas 28% do valor que chega ao consumidor final, o restante é completado da seguinte forma: 40% de carga tributária dos Estados e União; 11% de margem de lucro dos distribuidores e postos de gasolina; 21% referente ao preço do álcool misturado à gasolina.
Gasosa 2
Pelas contas da Petrobras, em cada 10 litros de combustível vendido nos postos por médios R$ 3 o litro, o consumidor final coloca no tanque 7,5 litros de gasolina, que tem custo real de produção na casa de R$ 7,88 e outros 2,5 litros de álcool, que tem custo de produção de R$ 6,06, ou seja, R$ 2,42 o litro.
Gasosa 3
É essa conta que não bate: como pode o custo de produção do litro da gasolina ficar em R$ 1,05, enquanto o álcool - que basta apenas plantar, colher, esmagar e refinar - custar R$ 2,42? Como está sendo vista pelo consumidor como a grande vilã da história, a Petrobras Distribuidora correu para afirmar que sua atuação na revenda de combustíveis é pautada pelas melhores práticas comerciais, pela ética e pelo respeito ao consumidor.
Gasosa 4
A Petrobras afirma ainda que as distribuidoras não têm ingerência sobre o preço final dos combustíveis nos postos, que são operados por terceiros. Mais uma vez, a estatal jura que a explicação para a alta no preço do com-bustível está na entressafra da cana-de-açúcar e fatores climáticos adversos que levaram ao aumento expressivo do custo do etanol repassado pelas usinas produtoras, impactando os preços praticados por todas as distribuidoras de combustíveis no País.
Gasosa 5
Ao invés de divulgar nota, a Petrobras deveria exigir que seus postos praticassem preço justo. A estatal afirma, em nota, que não faz nada porque os preços são livres nas bombas e as distribuidoras de combustível são legalmente impedidas de exercer qualquer influência sobre eles. “Há uma lei federal que impede as distribuidoras de operarem postos e estes são, em regra, administrados por terceiros, pessoas jurídicas distintas e autônomas”, diz a nota.
Usinando
A nota publicada pela Petrobras deixa claro que as usinas de álcool são as verdadeiras vilãs pelo preços abusivos, ou seja, de nada adianta o governo injetar bilhões e bilhões de reais nessas empresas se a função social que elas cumprem não vai além da geração de empregos. É preciso fechar as torneiras do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), já que o dinheiro público está financiando usinas que lucram às custas do consumidor.
Usinando 2
Ademais, como o álcool é misturado à gasolina nas distribuidoras e não nas refinarias, fica fácil para essas empresas aumentaram a margem de lucro na negociação direta com as usinas. O ideal seria que os donos de postos pudessem comprar o etanol direto nas usinas para vender o produto pelo menor preço ao consumidor. Aliás, por que a Agência Nacional de Petróleo (ANP) não permite essa prática?
Usinando 3
Por que, por exemplo, o etanol que é produzido em Maracaju não pode ser vendido diretamente nos postos? Por que o combustível precisa ser entregue primeiro na distribuidora em Campo Grande para, somente depois, ser revendido aos postos de combustíveis? Por que o Ministério Público Federal (MPF) não investiga essa máfia? Por que?

fonte malagueta

Um comentário:

  1. ENTÃO NÃO SEI SE SERIA POSSÍVEL POR A GASOLINA ENTÃO NÃO É VENDIDA SEM A ADIÇÃO DE ETANOL, ACREDITO QUE ANTIGAMENTE ERA ASSIM NÃO É DERDADE?

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELA VISITA.