terça-feira, 5 de julho de 2011

A maior ameaça ao cristianismo é a cultura pop e não o islãmismo, revela pesquisa

A maior ameaça ao cristianismo é a cultura pop e não o islãmismo, revela pesquisa De acordo com o estudo realizado pelo Fórum Pew Research Center para 2.200 líderes evangélicos de 166 países, o Cristianismo não é ameaçado pelo aumento do Islã, mas sim pelo secularismo e o consumismo através da cultura pop, além dos líderes dos países do Hemisfério Norte mostram um panorama mais “negro” em comparação com o sul.
A pesquisa mostra nuances diferentes na maneira de perceber o crescimento e desenvolvimento do Evangelho entre as 160 nações pesquisadas. Uma grande porcentagem acha que o impacto do Cristianismo está indo para baixo, enquanto outros pensam que o Evangelismo aumenta com resultados que tendem a um aumento de ouvintes da mensagem bíblica.
Os 71% relatam que o secularismo impõe uma grande ameaça ao Cristianismo, seguido por 67% que pensam que o consumismo representa uma queda. 59% acham que sexo e violência na cultura pop mostram ameaças contra a religião.
Dos evangélicos entrevistados 47% identificaram o Islã como “inimigo” potencial da religião messiânica.
Em referência ao conceito de crescimento e desenvolvimento da fé no Hemisfério Norte e do Sul, representando várias contradições, e que 7 em cada 10 (71%) líderes entrevistados dos países do hemisfério sul acham que a situação dos evangélicos vai melhorar dentro dos próximos 5 anos. Enquanto os inquiridos no Hemisfério Norte, há uma variação, e 21% acreditam que a situação será a mesma ou pior em outros casos (33%).
No Hemisfério Sul, os líderes pensam mais “positivo” sobre o impacto que eles representam na sociedade, 58% consideram que a sua visibilidade está aumentando.
Por outro lado, 66% dos líderes no Hemisfério Norte acham que eles estão perdendo influência dentro da empresa.
Entre os países que mostraram mais pessimismo são os EUA que 82% acham que estão perdendo o poder de impacto na sociedade americana.
Entre outros temas discutidos no Terceiro Congresso Lausanne sobre Evangelização Mundial na Cidade do Cabo, foram várias perguntas sobre a fé e apresentar temas sensíveis como o aborto.
Com relação ao aborto, 96% dos entrevistados eram contra, por outro lado, 84% acham que a homossexualidade deve ser condenada.
Visão sobre as questões da Bíblia, metade dos líderes evangélicos acreditam que a Bíblia deve ser lida literalmente, isto é, deve passar por um processo “palavra por palavra”, mas 49% acham que uma pessoa moral não necessariamente deve acreditar em Deus.
Sobre as questões do alcoolismo, 52% acham que o consumo de álcool na comunidade cristã não é aceitável, contra 42% que pensam que podem ser Cristãos e tomar álcool.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO PELA VISITA.