quinta-feira, 7 de julho de 2011

Após morte de doadora de 21 anos, hospital de SP suspende coleta de medula óssea


Reprodução de imagem TV TEM/Filiada TV Globo
SÃO PAULO - O Hospital de Base de São José do Rio Preto suspendeu por tempo indeterminado a coleta de medula óssea após a morte de uma jovem de 21 anos. Luana Neves Ribeiro, estudante de enfermagem, morreu durante o procedimento de doação de medula óssea, em que ajudaria outro paciente a sobreviver. Segundo os médicos, ela entrou em choque e morreu depois de ter o cateter inserido na veia jugular, que passa pelo pescoço. Esse procedimento em que as células-tronco são colhidas na corrente sanguínea só é feito em 20% dos casos. As informações são da TV TEM

O procedimento foi realizado no Hospital de Base de São José do Rio Preto, no noroeste paulista. A direção do hospital e o médico responsável pelos transplantes de medula óssea da instituição ainda não sabem o que causou a morte de Luana. A previsão é de que o laudo conclusivo fique pronto na próxima terça-feira. Enquanto isso, os diretores do hospital apuram se houve alguma falha no procedimento.
Luana morava na cidade de Promissão, na região centro-oeste do estado, e estudava na Universidade de Marília. Ela foi selecionada para ser doadora porque exames de sangue comprovaram que era compatível com um paciente do Rio de Janeiro, uma criança com leucemia, que precisava do transplante. O procedimento foi realizado no Hospital de Base por ser o local mais próximo da cidade dela.
A jovem de internou na tarde de segunda-feira. Por volta de 19 horas, começou a sentir fortes dores e retornou ao hospital. Foi medicada. A parada cardíaca ocorreu por volta de 22h.
A medula óssea é um material gelatinoso que fica no interior dos ossos. É lá que são produzidos principalmente os glóbulos brancos e vermelhos que transportam oxigênio e agem na defesa do organismo. Para fazer a doação do material é preciso preencher um cadastro em qualquer hemocentro e coletar uma pequena quantidade de sangue. As chances de se encontrar voluntários compatíveis são de 1 para cada 100 mil.
No hospital passou por alguns procedimentos e voltou para o hotel, onde estava hospedada. No hotel, ela teria passado mal e voltou para o hospital onde morreu por volta de 22 horas. A família pediu necropsia e teria sido constatado que ocorreu uma hemorragia interna.
fonte o globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO PELA VISITA.