domingo, 26 de junho de 2011

E B D - A LUTA CONTRA TODAS AS SORTES DE VÍCIOS



Texto Áureo: "Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento" (Fp 4.8).


ARC: “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”.
Há recompensas para quem pratica e anda na verdade, na justiça e na pureza.
· Verdadeiro: Sl 15.1,2: “Senhor, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte? Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração”.


· Justo: Sl. 58.11: “Então dirá o homem: Deveras há uma recompensa para o justo; deveras há um Deus que julga na terra”.


· Puro: Mt 5.8: “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus”.
Jó.17.9: “E o justo seguirá o seu caminho firmemente, e o puro de mãos irá crescendo em força”.


Verdade Aplicada: Há práticas que são legais e não se caracterizam como contravenções penais, mas nem sempre a lei está de acordo com os princípios bíblicos.”
O que fazer quando as leis não condizem com a palavra de Deus? O que fazer quando a lei de nosso país nos permite ter vícios como, por exemplo, cigarros e bebidas e jogos de azar legalizados? Entendemos que jogos de azar é pecado assim como qualquer outro vício. Infelizmente nossos governantes não estão preocupados em seguir os ditames das sagradas escrituras. Nestes casos devemos seguir as orientações da palavra de Deus:
1 Co 6.12: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma”.
1Co 10.23: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam”.


Jo 3.19: “O juízo é este, que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; pois eram más as suas obras”.


Os 9.10: “Achei a Israel como uvas no deserto; vi vossos pais como a fruta temporã da figueira que dá pela primeira vez; mas eles foram a Baal-Peor, e se consagraram a essa coisa vergonhosa, e se tornaram abomináveis como aquilo que amaram”.
Sl 1.1,2: “Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite”.
Devemos também fazer como Pedro e os apóstolos:


At 5.29: “Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens”.
Introdução
Nesta lição estudaremos alguns assuntos importantíssimos de serem discutidos. Cada um desses assuntos daria uma lição. Falaremos sobre os vícios (drogas ilícitas e lícitas), a dependência química, jogos e o trabalho como contrapartida aos ganhos fáceis. Vamos resumidamente falar sobre todos estes assuntos.


1. O vício escraviza o homem


Vício do latim "vitium", que significa "falha" ou "defeito" é um hábito repetitivo que degenera ou causa algum prejuízo ao viciado e aos que com ele convivem. Fomos chamados para sermos livres em Cristo Jesus, não devemos nos deixar prender por nada neste mundo.
Jo 8.32-36: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém; como dizes tu: Sereis livres? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. Ora o servo não fica para sempre em casa; o Filho fica para sempre. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”.
Is 61.1: “O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados”.


Sl 42.7: “Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim”.


Além de o inimigo escravizar o homem, vai jogando-o cada vez mais para o fundo do poço. Vícios, jogos e prostituição são coisas que sempre estão interligadas. A pessoa começa com uma prática e logo está envolvida em outra. É o abismo que chama outro abismo.


1.1 Causa dependência


Jr 2.13: “Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm águas”.


Ap 22.17: “O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida”.


“Principalmente a terrível dependência química”. Mas o que é dependência química? A dependência de qualquer substância psicoativa, ou seja, qualquer droga que altere o comportamento e que possa causar dependência (álcool, maconha, cocaína, crack, medicamentos para emagrecer à base de anfetaminas, calmantes indutores de dependência ou "faixa preta" etc.). A dependência se caracteriza por o indivíduo sentir que a droga é tão necessária (ou mais!) em sua vida quanto alimento, água, repouso, segurança... quando não o é! "QUÍMICA" se refere ao fato de que o que provoca a dependência é uma substância química. O álcool, embora a maioria das pessoas o separem das drogas ilegais, é uma droga tão ou mais poderosa em causar dependência em pessoas predispostas quanto qualquer outra droga, ilegal ou não. A dependência química se torna uma doença familiar, pois o convívio com o dependente faz com que os familiares adoeçam emocionalmente, sendo necessário que o familiar também se trate, e, ao mesmo tempo, receba orientações a respeito de como lidar com o dependente, como lidar com seus sentimentos em relação ao dependente, o que fazer, o que não fazer, e sobre como proteger a si e aos demais membros da família de problemas emocionais causados pela doença do dependente. Muitas vezes, os familiares se assustam quando falamos que também eles necessitam de tratamento; ninguém quer ser chamado de doente. No entanto, todos os familiares de dependentes que encontramos relataram pelo menos alguma conseqüência ou problema relacionado à dependência de uma pessoa próxima. Do nosso ponto de vista, quanto mais tempo o dependente e o familiar levarem para admitir a real necessidade de ajuda, maior tempo sofrerão.


1.2 Gasta o que tem e o que não tem


Pv 21.17: “Quem ama os prazeres empobrecerá, quem ama o vinho e o azeite jamais enriquecerá”.


Pv 28.22: “O que quer enriquecer depressa é homem de olho maligno, porém não sabe que a pobreza há de vir sobre ele”.


Os viciados pagam um alto preço se endividando e correndo o risco de morte, e quantos tem perdido a vida por estar devendo a traficantes ou mesmo em jogos de cartas. E quantos deixam de levar alimentos para casa por causa de um vício maldito.


Is 55.1,2: “Ah! Todos vós, os que tendes sede, vinde às águas; e vós, os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei; sim, vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite. Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor, naquilo que não satisfaz? Ouvi-me atentamente, comei o que é bom e vos deleitareis com finos manjares”.
1.3 Prejudica a saúde
1 Tm 4.16: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”.
3 Jo 2: “Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas, e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma”.
Pv 20.1: “O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido não é sábio”


Pv 21.16: “O homem que se desvia do caminho do entendimento na congregação dos mortos repousará”.


2. O corpo do salvo é o templo do Espírito


Ef 4.30: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção”.


2.1 Cuidado para não destruir o corpo


“O vicio tem destruído pessoas”. Nosso corpo é templo do Espírito Santo, não podemos destruir esse templo.


1 Co 3.17: “Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo”.


1 Co 6.19,20: “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus”.


2.2 O Espírito Santo não habita em templo sujo


Is 1.16: “Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal”.


Ec 9.8: “Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes, e jamais falte o óleo sobre a tua cabeça”.


Click aqui e releia o comentário da lição 4 deste trimestre, tópico 4 – A luta contra a moda que deixa marcas.


2.3 Cada um saiba possuir o seu corpo em santificação e honra




Rm 6.19: “Falo como homem, pela fraqueza da vossa carne; pois que, assim como apresentastes os vossos membros para servirem à imundícia, e à maldade para maldade, assim apresentai agora os vossos membros para servirem à justiça para santificação”.


Rm 6.22: “Mas agora, libertados do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna”.


1 Co 1.30: “Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção”.


1 Ts 4.3,4: “Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra”.


1 Ts 4.7: “Porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação”.


1 Ts 5.23: “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”.


2 Ts. 2.13: “Entretanto, devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados pelo Senhor, porque Deus vos escolheu desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito e fé na verdade”.


1 Tm 2.15: “Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação”.


Hb 12.14: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”.


1 Pe1.2: “Eleitos, segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e a aspersão do sangue de Jesus Cristo, graça e paz vos sejam multiplicadas”.


1 Pe 1.16-17: “Porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. Ora, se invocais como Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo as obras de cada um, portai-vos com temor durante o tempo da vossa peregrinação”.


3. O trabalho dignifica o homem


1 Ts 4.11: “E procureis viver quietos, e tratar dos vossos próprios negócios, e trabalhar com vossas próprias mãos, como já vo-lo temos mandado”.


Pv 13.11: “A fazenda que procede da vaidade diminuirá, mas quem a ajunta pelo trabalho terá aumento”.


Jo 5.17: “Mas ele lhes disse: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também”.


A prática do jogo da loteria, por exemplo, ou qualquer outro é pecado, mesmo estando dentro das leis dos homens. Mas o que dizer das igrejas que fazem rifas e até bingos para recolher fundos? E alguém ainda pode questionar: E quando concorro a um sorteio no supermercado ou a um consórcio, por exemplo, não é o mesmo que jogar na megasena que também é legalizada? O que é sorte e azar para o crente?


Vamos esclarecer umas coisas: Nos jogos de azar muitas pessoas empenham certa quantia de dinheiro esperando receber muitas vezes mais. Porém nestes jogos uns poucos ganham e outros muitos perdem, ficam no prejuízo. Outra coisa é você participar de um consórcio, onde um grupo de pessoas contribui para um fundo e no final do prazo todos irão receber o bem, se continuarem a contribuir até o final, é claro. Devemos entender que o princípio de Deus é o trabalho. Podemos enriquecer pelo trabalho, mas não através de jogos, onde uns ganham e outros perdem. E quanto aos sorteios dos supermercados, postos de gasolina ou lojas de departamentos, minha opinião é a seguinte: Os donos destes estabelecimentos não estão lesando ninguém dando um carrinho de compras ou um carro aos seus clientes, ninguém perde nada pelo fato de outra pessoa ganhar um brinde. Isto é marketing para atrair os clientes para seu estabelecimento. O meu questionamento é outro, é que quando incentivamos nossos irmãos a participarem de um sorteio, mesmo que seja para uma causa nobre, como por exemplo, construção de templos, sustento de missionários, etc... não estamos ensinando estes irmãos que devemos contribuir voluntariamente. Além disto, quando fazemos assim corremos o perigo de estar incentivando nossos irmãos a participarem de outras formas de jogos, mesmo com bons propósitos.


Você sabia que o jogo do bicho foi criado no ano de 1892, pelo Barão João Batista Viana Drummond com o objetivo de ajudar o Jardim Zoológico do bairro Vila Izabel – RJ, que estava em dificuldades financeiras? Os motivos foram bons, mas as atitudes erradas, sob o ponto de vista bíblico. Não podemos de forma nenhuma agir com motivações certas, porém com atitudes erradas.


Mt 5.16: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus”.


Fazendo a coisa certa de modo errado: Devemos nos lembrar do relato de 1 Cr 13.5-14 ou 2 Sm. 6.1-11, quando o Rei Davi fez uma coisa certa, levando a arca de Quiriate-Jearim ou Baalá para Jerusalém, porém a forma como executou foi um tremendo erro, causando a morte de Uzá. Ele não atentou para a ordenança do Senhor em Ex 25.14 de como a arca deveria ser transportada, pelos levitas, ao invés disso ele usou um carro novo. Ora os filisteus usaram um carro novo para transportar a arca e Davi foi querer imitá-los e teve uma conseqüência desastrosa. Não devemos utilizar os mecanismos dos filisteus (do mundo) para angariarmos recursos para a obra de Deus. Temos um exemplo de nossa igreja de Juiz de Fora que adota, há muito tempo, uma campanha: a Campanha da Fidelidade. Seja fiel ao Senhor com seus dízimos e ofertas e assim sua igreja não precisará usar de subterfúgios para realizar a Obra de Deus.


Ml 3.7-12: “Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos meus estatutos e não os guardastes; tornai vós para mim, e eu tornarei para vós, diz o Senhor dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar? Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança. E, por causa de vós, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; e a vide no campo não vos será estéril, diz o Senhor dos Exércitos. E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos Exércitos”.


3.1 Do suor do teu rosto comerás


Ec 5.12: “Doce é o sono do trabalhador, quer coma pouco quer muito; mas a fartura do rico não o deixa dormir”.


Pv 24.30-34: “Passei pelo campo do preguiçoso e junto à vinha do homem falto de entendimento; eis que tudo estava cheio de espinhos, a sua superfície, coberta de urtigas, e o seu muro de pedra, em ruínas. Tendo-o visto, considerei; vi e recebi a instrução. Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado”.


Ec. 10.18: “Pela muita preguiça desaba o teto, e pela frouxidão das mãos goteja a casa”.


Pv. 19.15: “A preguiça faz cair em profundo sono, e a alma indolente padecerá fome”.


Pv 21.25: “O desejo do preguiçoso o mata, porque as suas mãos recusam trabalhar”.


Pv 26.13,14: “Diz o preguiçoso: Um leão está no caminho; um leão está nas ruas. Como a porta gira nos seus gonzos, assim o preguiçoso na sua cama”.


3.2 Os que querem ficar ricos caem em tentações e em laço


1 Tm 6.7-11: “Porque nada trouxemos para este mundo e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas e segue a justiça, a piedade, a fé, a caridade, a paciência, a mansidão”.


3.3 Quando o coração está nos tesouros


Pv 28.22: “Aquele que tem um olho mau corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a pobreza”.


Lc 12.13-21: “Nesse ponto, um homem que estava no meio da multidão lhe falou: Mestre, ordena a meu irmão que reparta comigo a herança. Mas Jesus lhe respondeu: Homem, quem me constituiu juiz ou partidor entre vós? Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui. E lhes proferiu ainda uma parábola, dizendo: O campo de um homem rico produziu com abundância. E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos? E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te. Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus”.
4. Os vícios são pecaminosos e repetitivos


Devemos ter o cuidado de um erro se tornar comum entre nós. Quando não damos ouvidos à voz do Espírito Santo nossa mente fica cauterizada.


Ap 2.21: “E dei-lhe tempo para que se arrependesse da sua prostituição; e não se arrependeu”.


4.1 Alguns tipos de vícios


Bebidas alcoólicas:


Pv 23.29-35: “Para quem são os ais? Para quem, os pesares? Para quem, as rixas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem causa? E para quem, os olhos vermelhos? Para os que se demoram em beber vinho, para os que andam buscando bebida misturada. Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. Pois ao cabo morderá como a cobra e picará como o basilisco. Os teus olhos verão coisas esquisitas, e o teu coração falará perversidades. Serás como o que se deita no meio do mar e como o que se deita no alto do mastro e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando despertarei? Então, tornarei a beber”.


Ec 10.17: “Ditosa, tu, ó terra cujo rei é filho de nobres e cujos príncipes se sentam à mesa a seu tempo para refazerem as forças e não para bebedice”.


Is 28.7: “Mas também estes cambaleiam por causa do vinho e não podem ter-se em pé por causa da bebida forte; o sacerdote e o profeta cambaleiam por causa da bebida forte, são vencidos pelo vinho, não podem ter-se em pé por causa da bebida forte; erram na visão, tropeçam no juízo”.


Ef 4.17-22: “Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não mais andeis como também andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração, os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza. Mas não foi assim que aprendestes a Cristo, se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus, no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano”.


4.2 O vício destrói a pessoa, macula a família e arrasa a sociedade


Todo pecado, todo erro, todo vício atinge o praticante e os que estão à sua volta. Quando uma pessoa age assim sofre as conseqüências. É a lei da semeadura.


Ec 11.10: “Afasta, pois, do teu coração o desgosto e remove da tua carne a dor, porque a juventude e a primavera da vida são vaidade”.


Gl 6.7: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará”.


4.3 O vício é do velho homem


Hb 12.1-2: “Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus”.


Fp 3.13-14: “Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”.


Conclusão


Findamos mais um trimestre com a ajuda do nosso Deus. Nestes maravilhosos estudos que tivemos, aprendemos o quanto precisamos preservar estes ensinos e não abrir mão deles, pois são fundamentais para a formação ético-cristã e a manutenção da pura doutrina bíblica. Concluo com as seguintes palavras:


“Nossos desafios são grandes, pois ”lutar contra é não se conformar ou não aceitar o modelo errôneo que vem crescendo a cada dia”. A família e a igreja sofrem constantes ameaças, pois o inimigo que veio senão a matar roubar e destruir, tenta a todo custo fazer seu papel. A igreja também tem sua missão de levar adiante aquilo que lhe foi ordenado. E custe o que custar, temos que defender o casamento e a família com seus valores. Que continuemos a crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo (2 Pe 3.18).


Um grande abraço a todos. PR PAULO PHILLA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO PELA VISITA.